Notícias

Demanda de oleaginosas da China aumentará

Espera-se que a demanda por oleaginosas na China aumente em 2020/2021, à medida que os rebanhos de porcos e porcas do país começarem a se recuperar do impacto da peste suína africana, de acordo com um relatório da Rede Global de Informações Agrícolas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

A demanda total de oleaginosas está prevista em 148 milhões de toneladas, acima dos 145 milhões em 2019/2020, enquanto a recuperação gradual dos setores de suínos e esmagamento de soja também aumentará as importações de soja para 86 milhões de toneladas, em comparação com os 84 milhões estimados em 2019/2020 e de 82,5 milhões em 2018/2019, disse o USDA.

O aumento projetado também pode ser atribuído ao recente acordo comercial da primeira fase entre os Estados Unidos e a China, que inclui a eliminação da tarifa de 25% da soja nos EUA. As tarifas estavam em vigor desde julho de 2018, levando à redução das importações de soja para a China dos Estados Unidos por um período de 18 meses.

A nova pandemia de coronavírus (COVID-19) terá um impacto significativo na demanda de óleo vegetal, de acordo com o USDA. “O uso de óleo vegetal, que mostrou um crescimento robusto nos últimos anos devido a um setor hoteleiro, de restaurantes e institucional em expansão, deve crescer mais lentamente em 2019-20 e 2020-21 devido ao impacto do COVID-19 na demanda por serviços de hotelaria e culinária”, afirmou o USDA.

“O surto da doença no início de 2020 deu início a um período de fechamento de restaurantes e restrições impostas pelo governo a grandes reuniões, transporte público e movimentação dentro e entre províncias, diminuindo a demanda nos setores de restaurantes e turismo”, completou.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)