Notícias

Chuvas tardias beneficiam soja no Paraguai

Os agricultores do Paraguai agora estão mais otimistas em relação à produção de soja em 2019/2020, já que, após um começo seco, as chuvas tardias estão beneficiando a cultura, segundo Michael Cordonnier, da Soybean & Corn Advisor, Inc.

A partir do final de outubro, as chuvas se tornaram mais frequentes e continuaram a beneficiar a cultura da soja em desenvolvimento e a maioria das lavouras agora está enchendo vagens e o tempo continuou a ser benéfico. Nas melhores regiões do leste do Paraguai, os agricultores esperam rendimentos de soja na faixa de 65 a 70 sacas por hectare.

Durante a safra 2018/2019, o clima seco não apenas afetou negativamente a produtividade da soja no Paraguai, como também os agricultores receberam preços baixos por sua produção. Os preços da oleaginosa caíram na Bolsa de Chicago em 2019 devido à disputa comercial entre os Estados Unidos e a China, assim como os agricultores no Paraguai estavam vendendo a soja. Como resultado, eles tiveram que vender mais soja para compensar o preço mais baixo.

A produção de soja no leste do Paraguai é muito semelhante à do oeste do Paraná. Os solos, o clima e as práticas de produção são quase idênticos. De fato, muitos agricultores de soja no Paraguai são brasileiros que se mudaram do sul do Brasil para o Paraguai décadas atrás em busca de terras mais baratas.

Um resultado do atraso no plantio de soja no Paraguai foi a proliferação de ervas daninhas devido ao tempo de atraso entre o desbaste das ervas daninhas e o plantio da soja. O prolongamento no fechamento do dossel da soja também permitiu mais luz solar e umidade para as ervas daninhas. O controle de ervas daninhas no Paraguai custa aproximadamente US $ 40-50 por hectare e isso não inclui o custo adicional de controlar algumas resistentes ao glifosato, como o rabo-de-burro, por exemplo.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)