Notícias

Guerra comercial ainda tem efeitos no preço da soja

A disputa comercial travada entre a China e os Estados Unidos continua tendo um efeito de baixa nos preços da soja. Foi isso que informou o mais novo relatório do o Conselho Internacional de Grãos (IGC).

De acordo com o IGC, seu índice de preços da soja havia caído 2% em novembro, um recuo que estava ligado a quedas modestas nas principais origens. Os futuros de soja nas proximidades de Chicago caíram 3% no mês.

"Enquanto a firme demanda internacional, destacada por uma série de sólidas contagens semanais de vendas de exportação, sustentava o sentimento do mercado, o lado positivo foi compensado pela pressão de preocupações renovadas sobre as negociações comerciais EUA-China e o potencial para um amplo acordo", afirmou o IGC. "A atualização de oferta e demanda do USDA, que incluiu uma leve revisão ascendente das transferências dos EUA, pesou, assim como a melhoria do clima de plantio na América do Sul", completa.

Com os níveis de base levemente impulsionados pela demanda recente, as cotações de exportação do Golfo caíram modestamente, para US $ 357 FOB, disse o IGC. "Apesar das vendas recentes para a China, as preocupações subjacentes às perspectivas comerciais futuras e à melhoria das condições de semeadura foram influências importantes no mercado brasileiro", afirmou o IGC. “Juntamente com os movimentos da moeda, os valores de exportação denominados em dólares (Paranaguá) caíram 3% m / m (mês a mês), para US $ 369 FOB”, indica.

"Na Argentina, os preços de exportação do Up River também foram um pouco mais baixos, em US $ 352 FOB, em atividade geralmente lenta, com apoio moderado das vendas de pequenos agricultores em um cenário econômico incerto", conclui.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)