Notícias

Próximos 25 dias devem ser decisivos para as lavouras de trigo

Na área do escritório regional da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo, 90% do cultivo já está na fase de enchimento do grão e com possibilidade de alcançar 3,3 toneladas por hectare de produtividade - As lavouras de trigo no Rio Grande do Sul, segundo a Emater/RS-Ascar, encontram-se, na maioria maioria, na fase de enchimento de grão, com cerca de 64%. Pouco mais de 5% já está na fase de maturação, que se configura entre a maturação fisiológica e o ponto de colheita. Nesta safra, ainda segundo o órgão de extensão e assistência técnica rural, o RS plantou 739,4 mil hectares, o que corresponde a 37% da área brasileira de plantio com o cereal de inverno.

Na região do escritório regional de Passo Fundo, que envolve os Coredes Produção e Nordeste, 10% das lavouras estão na fase de floração e 90% na de enchimento de grão. A região que engloba os 42 municípios atendidos pelo escritório representa 6,5% da área com trigo no estado. De acordo com o gerente regional da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo, Oriberto Adami, as lavouras estão com boas condições sanitárias, o que sinaliza um bom potencial produtivo. “O clima tem contribuído, as chuvas da semana passada favoreceram as lavouras que estavam um pouco secas. Os produtores continuam com o monitoramento de praças e doenças, bem como aplicações de tratamentos fitossanitários”, diz.

Dos municípios que fazem parte do escritório de Passo Fundo, Não-Me-Toque semeou seis mil hectares de trigo e Lagoa Vermelha quatro mil. Em 2018, o rendimento de Lagoa foi de 3,6 toneladas por hectare, média acima da estadual, que é de 2,4 toneladas por hectare.

Adami diz que a expectativa é ter uma “boa safra de trigo”, caso não se tenha nenhuma intempérie, como chuvas em excesso ou granizo. “Esperamos ter qualidade do grão, mas ainda temos esses 20, 25 dias que serão decisivos para manter esse padrão de produtividade e qualidade. Até o momento, a perspectiva é boa”, define. Na visão do gerente regional, a safra deste ano tende a ser melhor que a passada. “Tivemos muitos problemas de doenças, de chuvas, qualidade do grão e nesse ano está se mostrando com um potencial muito bom”. Conforme Oriberto, a região deve colher 3,3 toneladas por hectare de trigo.

“TRIGO DEPENDE MUITO DO MERCADO”
No verão, o cultivado com soja e milho ultrapassa facilmente a marca de 700 mil hectares. Adami acredita que a baixa adesão ao plantio de trigo por parte dos produtores se deve a um fator de mercado. “Quando o preço não está bom, o pessoal não planta muito trigo, não se estimulado muito os produtores a plantar, não se tem uma garantia de preços e aí o produtor opta por não plantar”. Ele salienta ainda que o ideal seria ter uma área de trigo maior, mas a estabilidade do plantio já é um fator positivo.

Esperamos ter qualidade do grão, mas ainda temos esses 20, 25 dias que serão decisivos para manter esse padrão de produtividade e qualidade. Até o momento, a perspectiva é boa

PREÇOS
Segundo um levantamento semanal da Emater/RS-Ascar, o preço médio do trigo no estado foi de R$40,33, uma redução de 1,54% em relação a semana anterior. O preço médio recebido em Passo Fundo, conforme dados da Emater, foi de R$ 42. O preço mínimo para o trigo em grão tipo 1 (pão) com PH 78, safra 2019-2020 para a região Sul do Brasil é de R$ 40,57/sc., estabelecido pela Portaria nº 31, de 11/03/2019.
FONTE: Diário da Manhã - AGRO