Notícias

Falta de demanda chinesa volta a derrubar soja nos EUA

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na quarta-feira (14.08) baixa de 10,75 pontos no contrato de Setembro/19, fechando em US$ 8,655 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com desvalorizações entre 10,50 e 11,00 pontos.

Os principais contratos futuros tiveram novo dia de baixa de preços no mercado norte-americano de soja, após um dia anterior de altas. “A ausência de maiores avanços nas negociações [para o fim da Guerra Comercial] limitaram o entusiasmo. Especial atenção houve sobre a Argentina, onde, uma vez estabilizado o tipo de câmbio, a depreciação recente poderia estimular a exportação – o que realmente aconteceu com a venda de 500 mil toneladas só nesta quarta”, aponta a T&F Consultoria Agroeconômica.

De acordo com a Consultoria ARC Mercosul, as cotações futuras das commodities agrícolas começaram o dia buscando recuperação: “Porém, com a divulgação de resultados preocupantes acerca da economia de alguns países desenvolvidos, como Alemanha e China, o mercados financeiros despencaram, puxando também um movimento negativo para os grãos negociados em Chicago”.

CLIMA
Ainda de acordo com a ARC Mercosul, as últimas atualizações climáticas apontam para “melhora nas previsões de chuvas na maior parte do Cinturão Agrícola norte-americano. Chuvas mais intensas chegam a região já a partir deste final de semana, cobrindo também a porção leste da região, onde o estresse hídrico já se mostra bastante severo. Nenhum calor excessivo duradouro é projetado para os próximos dias, o que também colaborará para uma melhora nas condições das lavouras. A chegada destas chuvas será extremamente crucial para a porção leste do Cinturão, região que registrou os maiores atrasos de plantio e onde as condições secas foram mais persistentes nas últimas semanas”.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)