Notícias

Clima pior suplanta cotações em Chicago

O boato de compras chinesas da soja dos Estados Unidos continua, mas o clima desfavorável acabou suplantando os preços da oleaginosa na Bolsa de Chicago, segundo informou o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. De acordo com ele, somente os preços do farelo de soja recuaram.

“Futuros de soja fecharam nesta quarta-feira em alta de 5,25 centavos na maioria dos contratos. O contrato de agosto fechou a $ 891,0, com máxima de $ 895,0 e com mínima de $ 883,75. O farelo de soja de agosto recuou US$cent 1,0/tonelada para $ 306,3. Já o óleo de soja fechou em alta de 29 pontos, com o contrato de agosto a $ 28,30”, comenta ele.

Ele explica então que a soja recebeu impulso da incerteza climática e expectativas de reativação das compras da China. “Os mapas climáticos indicam escassas precipitações para as próximas semanas e temperaturas mais elevadas, gerando temor em plena etapa de desenvolvimento dos cultivos”, indica.

“Por outro lado, continuam os rumores de que a China estaria habilitando empresas locais para importar uma quota de soja americana livre de impostos. Nesta quarta-feira houve a informação de que funcionários americanos viajariam na próxima segunda-feira à China para encontrar-se com funcionários chineses e avançar nas negociações”, completa.

Além disso, a expectativa do mercado sobre as vendas de exportação a serem divulgadas “nesta quinta-feira pela manhã é de vendas de 100 mil tons-300 mil tons para a safra velha e o mesmo para a safra nova. Com relação as vendas de farelo, espera-se algo entre 150-400 mil tons e do óleo de soja entre 8-32 mil tons”.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)