Notícias

Cientistas europeus pedem para revisar a legislação

"Genética é fundamental na produção" - Coincidindo com o primeiro aniversário da resolução do processo C-528/16 do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), a comunidade científica europeia especializada em biologia vegetal divulgou uma Declaração Aberta na qual pedem ao Parlamento eleito e Comissão Europeia para permitir o uso de novas técnicas de edição genômica para alcançar uma agricultura mais sustentável, em consonância com os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU. A tecnologia CRISPR-Cas permite modificar genes com grande precisão e facilidade, abrindo uma ampla gama de possibilidades de aplicação tanto no campo da medicina como no melhoramento de plantas.

Francisco Juan Martínez Mojica, professor da Universidade de Alicante e descobridor das sequências de CRISPR na natureza, está entre os signatários da Declaração Aberta. Pesquisadores de todo o mundo já estão usando o sistema CRISPR-Cas para realizar modificações direcionadas em espécies de interesse agronômico com muito mais rapidez e eficiência do que com técnicas convencionais de melhoria, como cruzamentos ou mutagênese aleatória. Tal como acontece com as técnicas convencionais, o objetivo dos pesquisadores usando CRISPR-Cas é introduzir mutações em espécies de plantas que conferem características vantajosas, como resistência a um patógeno vegetal, seca ou uma melhoria nas características.

“Por outro lado, as técnicas de edição do genoma permitem fazer tais mudanças pontuais que as plantas resultantes não podem ser diferenciadas de uma planta obtida por técnicas convencionais (como a maioria que encontramos no mercado hoje), e mesmo muitas das mutações introduzidas pela edição poderiam ocorrer naturalmente sem intervenção humana, portanto a legislação atual, que exige a apresentação de um método específico para detectá-las, dificilmente será aplicável ”, explica.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)