Notícias

87% da soja argentina está em boas condições

Apesar da ausência de precipitações mais de 87% da soja argentina está em condições boas ou excelentes. De acordo com o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica, as altas temperaturas fizeram com que pouco mais de 28% da área nacional da oleaginosa estivesse variando entre ruim e regular.

“Em paralelo, mais da metade da área plantada passa por estágios críticos de definição de rendimento e as áreas mais avançadas iniciam a maturidade fisiológica em setores das regiões centrais. As chuvas registradas nos dias anteriores só proporcionaram alívio momentâneo em setores de Buenos Aires”, explicou Pacheco.

Além disso, uma grande parte da província central e do sul deve registar novas chuvas a curto prazo de modo a inverter “eficazmente o processo de secagem do solo e manter o potencial para rendimentos de colheita em lotes e passar estágios críticos de diferenciação de vagens. O resto da região agrícola nacional não registrou chuvas, permitindo continuar com a melhoria dos solos em regiões gravemente comprometidas pelo excesso de água”, completa.

Ainda segundo Pacheco, mais de 70% da primeira área de soja está definindo os rendimentos, sendo que os lotes mais atrasados estão localizados na região do NEA-Nordeste Argentino, onde 40% da área ainda está em estágios iniciais de floração. “Neste tipo de plantio, mais de 70% da área ainda tem uma condição favorável de água e mais de 90% de uma condição de cultivo favorável”, completa.

“Em relação às plantações de segunda safra, até o momento pouco menos de 40% da área está encerrando a floração, atrasada em relação ao ciclo anterior. Apenas 64,6% da área plantada mantêm uma condição favorável de água e pouco mais de 80% uma condição favorável da cultura”, conclui.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)