Notícias

China aprova soja que interessa Argentina

A China acaba de aprovar duas novas variedades de soja transgência que ser úteis para enfrentar a crise das ervas daninhas resistentes que a agricultura moderna atravessa na Argentina e em outros países produtores como o Brasil e os Estados Unidos. Nesse cenário, esses materiais podem começar a ser utilizados pelos produtores locais na próxima safra.

A utilização na próxima safra pode ser mais rápida do que o esperado, porque a sua aprovação comercial no país dependia justamente dessa autorização do gigante asiático, principal mercado mundial dessa oleaginosa. De acordo com informações da agência de notícias Reuters, a aprovação desses cultivos transgênicos pela China foi um gesto político no marco das negociações comerciais com os Estados Unidos.

No entanto, a novidade foi bem recebida por todo o mundo ocidental, que produz soja e exporta para a China. "Os agricultores e as empresas de sementes global dos EUA muito se queixam do processo lento e imprevisível de Pequim aprovar culturas biotecnológicas para importação, o que alimentou as tensões comerciais entre as duas maiores economias no mundo”, escreveu a Reuters.

Um dos produtos foi a soja SYN-000H2-5, que foi desenvolvida pela Syngenta e pela Bayer, mas com tantas fusões e aquisições, que passará agora para as mãos da alemã Basf e na Argentina tinha sido aprovado por uma resolução de 17 de novembro de 2017. O cultivo fornece tolerância ao glufosinato de amónio e os herbicidas da família dos inibidores de HPPD (síntese) de carotenóides.

O outro foi a soja DAS-44406-6, ou mais conhecida como "Enlist", desenvolvida pela Dow e agora pertencente à Corteva. Ele foi aprovado na argentina em outubro de 2016, mas também condicionado ao que a China entendesse. Esta é uma soja que resiste simultaneamente aos herbicidas 2,4D, glifosato e glufosinato.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)