Notícias

Pragas quarentenárias é tema de nova página temática da Embrapa

Já está no ar o novo hotsite da Embrapa sobre pragas quarentenárias. A página temática reúne informações sobre projetos, soluções tecnológicas, publicações, vídeos e notícias, além de sessão de perguntas e respostas e histórico de entradas de pragas quarentenárias no Brasil. O assunto é considerado urgente e estratégico para o país, pois a presença e disseminação de uma praga exótica pode comprometer seriamente a agricultura nacional.

De acordo com a pesquisadora Elisângela Fidelis, coordenadora do portfólio Quarentena, uma das linhas de atuação da Embrapa para o tema ‘Pragas Quarentenárias’, a iniciativa buscou concentrar em um único espaço o grande volume de conhecimento produzido pela Embrapa sobre o assunto. “Conseguimos organizar um conteúdo atualizado, com linguagem simples e didática, buscando facilitar o acesso da sociedade às informações geradas pelos projetos e ações da Embrapa na área”, diz Fidelis.

A pesquisadora explica que, no Brasil, a lista de pragas quarentenárias é estabelecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Atualmente, essa lista conta com 12 espécies presentes e mais de 500 espécies ou gêneros considerados como pragas ausentes. Dessas, dezenas já foram reportadas em outros países da América do Sul e Caribe, com grande probabilidade de entrada no país.

O caso mais recente de introdução de uma praga quarentenária de alto impacto no Brasil foi o da Helicoverpa armigera, que causou perdas expressivas a cultura da soja, algodão e milho nas safras 2011/2012 e 2012/2013. Hoje, a Região Norte vem sendo considerada como a principal via de entrada de novas pragas quarentenárias. Nos últimos anos, sete pragas entraram pelas fronteiras da região.

Atuação da Embrapa no tema

A Embrapa vem concentrando esforços técnicos e científicos para evitar a introdução, disseminação e impactos de novas pragas no Brasil. Para isso, desenvolve pesquisas e ações de transferência de tecnologia nas áreas de manejo de pragas, inteligência territorial, controle biológico, análise fitossanitária de material vegetal introduzido em regime de quarentena e melhoramento genético preventivo.

Também atua em programas de manejo e contingência, prestando apoio a diversas políticas públicas. Em 2017, a Empresa elaborou, em parceria com o Mapa, lista com as 20 pragas quarentenárias ausentes prioritárias para ações de vigilância e pesquisa que ameaçam, caso entrem no país, culturas como milho, soja, mandioca, batata, arroz e várias frutas.

Os resultados da priorização de pragas estão sendo úteis para construção de ações de defesa vegetal, como a elaboração de planos de contingência e vigilância. Também influenciam as atividades de pesquisa, estimulando o desenvolvimento de métodos diagnósticos, mapeamento de áreas de risco, e estabelecimento de projetos de melhoramento preventivo.

Confira mais informações na Página Temática sobre

Pragas Quarentenárias.

 

FONTE: EMBRAPA