Notícias

Preço da soja volta a cair no Brasil

A pesquisa diária do Cepea apontou que as médias dos preços pagos pela soja brasileira caíram 1,02% nos portos brasileiros e 0,76% nas praças do interior do Brasil. Com isto o preço médio de exportação sobre rodas ficou em R$ 88,08/saca, enquanto no interior o preço caiu para R$ 82,34.

“Os relatos do interior que recebemos informam que o dia passou em branco. Os prêmios também tiveram oscilação: para a soja em grão subiram 13 cents/bushel em Rio Grande, mas caíram 10 cents/bushel em Paranaguá e Santos; permaneceram ianlterados para dezembro, caíram 12 cents para fevereiro, 8 para março e permaneceram iguais para abril e maio”, aponta o analista da T&F Consultoria Agroeconômica Luiz Fernando Pacheco.

PLANTIO
O relatório semanal de acompanhamento das lavouras, da Emater-RS registrou nesta quinta-feira que os produtores gaúchos começam a intensificar os trabalhos de plantio da safra 2018-2019. Estima-se que cerca de 200 mil hectares estejam plantados, pouco mais de 3% do total
previsto (5,8 milhões de hectares). “O ritmo deverá se acelerar ainda mais, se o tempo permitir, uma vez que a colheita da safra de trigo também segue veloz, liberando área para a soja”, conclui Pacheco.

CLIMA
De acordo com mapas climáticos atualizados para a América do Sul, quase nenhuma variação climática foi percebida nas leituras. “Chuvas intensas e generalizadas continuam sendo projetadas para todo o Centro-Sul brasileiro, agora com precipitações do fim de outubro aparecendo nos mapas dos próximos 5 dias. Esta nova rodada pluviométrica deverá cobrir a região do oeste baiano, assim como o lado sul do Tocantins, que são áreas que estão nos momentos iniciais de plantio", aponta a Consultoria AgResource.

"Todo o restante da principal região sojicultora brasileira passa por uma das melhores campanhas de início de safra, com chuvas adequadas pela grande maioria do Centro-Oeste e Sul do Brasil. A ARC está ciente que há pontos focais onde tais chuvas não se confirmam, mais não representam o cenário nacional, até o momento”, concluem os analistas da ARC.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)