Notícias

Comissão Europeia não renova aprovação do Diquat

A Comissão Europeia decidiu não renovar a aprovação do herbicida Diquat, não revertendo a decisão da reunião do Comitê de Apelação realizada em 12 de julho de 2018. De acordo com Mark Britton, gerente de marketing da Syngenta, que comercializa os herbicidas Reglone e Retro que contêm Diquat, falta agora a decisão da Divisão de Regulamentação de Produtos Químicos (CRD) do Reino Unido para proibir a substância em toda a Europa.

“Lutamos arduamente para defender o Diquat - apoiamos nossos produtos na ciência e sustentamos que a retirada da aprovação de Diquat não se justifica. Vários Estados-Membros são da mesma opinião, conforme demonstrado pelo resultado da votação de 12 de julho”, afirma.

Além disso, ele comenta que a Europa pode estar abrindo mão de uma alternativa importante no combate a ervas daninhas. “Estamos convencidos de que o Diquat desempenha um papel vital na produção de alimentos. Infelizmente, a Europa perdeu um elemento importante para a competitividade da sua agricultura”, comenta.

De acordo com Dr. Chris Hartfield, consultor científico e de assuntos regulatórios da National Farmers 'Union, ou Sindicato Nacional de Agricultores da Inglaterra (NFU), o órgão está tentando liberar o uso do Diquat por, pelo menos, mais três anos. Isso porque eles acreditam que a proibição é injustificada e parte de uma investigação conservadora.

“O Diquat é utilizado com segurança pelos produtores há mais de 50 anos. Sua remoção do mercado terá implicações significativas para a produção de batatas no Reino Unido. É muito mais eficaz que outras alternativas disponíveis. É também um dos dois únicos herbicidas não seletivos disponíveis para os produtores na União Europeia, onde nenhuma resistência significativa a ervas daninhas se desenvolveu”, finaliza.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)