Notícias

Insegurança jurídica pelo frete impacta produtor

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) está alertando que a insegurança jurídica causada pelas consequências do tabelamento do preço mínimo para o transporte rodoviário de cargas está impactando o produtor rural brasileiro. De acordo com a Associação, os setores mais afetados, até agora, são a suinocultura e a avicultura.

“O tema do frete mínimo impacta diversos setores da economia, em especial a avicultura e a suinocultura, que contam com categorias próprias de frete dedicado e exclusivo. Com a nova tabela proposta, o custo logístico apresenta uma elevação média de 35% - chegando próximo de 80% em algumas modalidades, como o transporte de ração”, disse a assessoria da ABPA.

Nesse cenário, a ABPA acredita que os impactos não serão sentidos somente pelo produtor, mas também pelo consumidor final. Segundo a instituição, o produtor terá que aumentar o valor dos produtos na hora da venda para compensar o seu gasto, o que fará com que os preços no mercado também subam.

“Adicione-se a este contexto as oscilações de preço do milho e a soja, principais insumos da alimentação das indústrias, que atingiram em agosto elevação média de, respectivamente 53% e 43% com relação ao mesmo mês do ano passado. Com a somatória destes fatores – tabelamento de frete e elevação dos custos de produção – os impactos nas carnes e outros produtos de aves e de suínos para o consumidor tendem a superar 15%”, prossegue o texto.

Assim, a ABPA anunciou que considera equivocada a manutenção do tabelamento, exigindo que seja feita uma reavaliação do processo para que, segundo ela, nem produtores e nem consumidores tenham gastos desnecessários.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)