Notícias

China pode voltar a comprar soja dos EUA

A Oil World, empresa de análises especializada em óleos vegetais, afirmou para o portal Agriculture.com que a China pode precisar voltar a comprar soja dos Estados Unidos em menos de duas semanas, em meio a disputa comercial travada entre os dois países. Segundo a petroleira, outras regiões não conseguem fornecer soja suficiente para atender às necessidades do país oriental.

"A China precisa retomar as compras de soja dos EUA. Em nossa opinião, a escassez de oferta na América do Sul fará com que a China importe 15 milhões de toneladas de soja dos EUA em outubro de 2018 / março de 2019, mesmo que a atual guerra comercial não seja resolvida”, diz o comunicado da Oil World.

Em julho, a China impôs tarifas de importação sobre uma lista de produtos dos EUA, incluindo a soja, como parte da disputa comercial. Agora, o maior importador de soja do mundo vem buscando suprimentos alternativos, especialmente na América do Sul, onde a disponibilidade para exportação está em baixa.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o alvo dos orientais nos EUA é, pincipalmente a soja esmagada para a produção de óleo de cozinha e farelo. Nesse cenário, a petroleira garante que a China deverá aumentar as importações de farelo de soja processado, inclusive o estadunidense que passou por moagem na argentina.

"O maior aumento provavelmente será visto nas exportações de farelo de soja da Argentina para a China. Se a China começar a comprar farelo de soja argentino, a falta de oferta de soja na Argentina aumentará as importações argentinas de soja dos EUA”, finalizou o comunicado.
FONTE: AGROLINK(Leonardo Gottems)