Notícias

Soja: Demanda favorece e mercado amplia ganhos em Chicago

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago encontraram espaço para ampliar suas altas registradas no pregão desta quinta-feira (5) e as cotações subiam, por volta de 11h50 (horário de Brasília), mais de 10 pontos. Com isso, o maio/18 já buscava recuperar os US$ 10,00 e era cotado a US$ 9,96 por bushel.

Parte desse estímulo veio das boas vendas semanais norte-americanas, que vieram em mais de 1 milhão de toneladas, de acordo com os números do boletim semanal do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgados hoje, e que ficaram dentro das expectativas do mercado de 1 a 1,3 milhão de toneladas.

Os focos permanecem, principalmente, sobre a demanda e o clima na América do Sul.

"A AgResource alerta que os operadores chineses do mercado voltam com mais intensidade já nos próximos dias, com o encerramento dos feriados sazonais na Ásia. Nossos contatos na China afirmam que uma nova rodada agressiva de compras de soja deverá ser observada em meados de outubro", informa o boletim diário da consultoria internacional.

Porém, como explica o economista e analista de mercado Camilo Motter, da Granoeste Corretora de Cereais, "demanda segue firme, porém a grande oferta global e a chegada da nova safra norte-americana limitam os ganhos.
Os participantes estão atentos ao aumento de chuvas nos campos do Meio Oeste – que podem atrasar a colheita – e também à falta de chuvas em extensas áreas de cultivo do Brasil, onde a implantação das lavouras ainda é duvidosa".

Sobre o clima no Brasil, o alerta fica para as próximas duas semanas, ainda de acordo com a AgResource.

"Nas previsões atualizadas, um período de estiagem e temperaturas elevadas é observado sobre o Mato Grosso e Goiás para as próximas duas semanas. Uma massa de ar quente de alta pressão se aloca sobre o centro-leste do Brasil, dificultando a chegada de novas chuvas no período em questão. Apesar disto, melhores chances de chuvas são observadas a partir do dia 15 de outubro, para ambos os estados", informa a ARC Brasil.

O outro destaque fica por conta das boas chuvas que chegam ao Paraná - segundo maior produtor de soja do Brasil - e que darão boas condições de plantio para os produtores locais.
FONTE: Notícias Agrícolas(Carla Mendes)