Notícias

Análise proteômica comparativa de cultivares de soja suscetível e resistente à ferrugem asiática

Artigo: A cultura da soja (Glycine max) é afetada negativamente por uma variedade de fatores abióticos e bióticos. Entre os fatores bióticos, destacam-se as doenças e, entre elas, a ferrugemasiática da soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi.

De modo a contribuir no entendimento das relações planta-patógeno, um estudo proteômico foi proposto a fim de verificar proteínas envolvidas na defesa da planta contra este patógeno, o qual tem causado grandes perdas sobre esta cultura.

Duas cultivares de soja foram utilizadas: BRSGO-7560 (resistente) e M-SOY-8001 (suscetível). No estádio V3/V4, folhas de plantas de ambas as cultivares na condição não inoculada foram coletas e também inoculadas com P. pachyrhizi, as quais foram coletas setes dias após a inoculação.

As folhas coletadas em ambas as condições foram submetidas à extração de proteínas na presença de TCA/acetona. Mapas proteômicos bidimensionais (pI 4 a 7) a partir de folhas foram gerados nas condições não inoculada e inoculada, a fim de correlacionar os proteomas de ambas as cultivares visando à identificação de proteínas com abundância relativa significativa.

Os peptídeos foram identificados por cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas (LC-MS/MS). Neste estudo foram encontradas proteínas relacionadas à defesa contra o patóteno, tais como: proteínas de choque térmico (HSP70), 1-desoxi-D-xilulose-5-fosfato reductoisomerase, glutamina sintetase, glutationa S-transferase classe DHAR, superóxido dismutase, proteína cloroplástica potencializadora de oxigênio, frutose–bifosfato aldolase, ascorbato peroxidase 1 citosólica e anidrase carbônica.

Os resultados obtidos indicam a estratégia proteômica como uma abordagem a ser explorada no estudo das interações planta-patógeno.

Autor: Figueiró, Gláucia Garcia

Veja na integra clicando AQUI.

FONTE: Agrolink